terça-feira, 23 de abril de 2013

Brincadeiras do Nordeste

Boca de Forno

Brincadeiras do Nordeste: Boca de forno. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
A brincadeira é cantada em verso. O grupo escolhe quem será o mestre, responsável por propor os desafios para o grupo. A ordem pode ser encontrar um objeto de uma cor específica ou mesmo dar uma volta completa no quarteirão. O último a cumprir a prova leva um castigo. A turma decide a quantidade e a intensidade dos "bolos", que pode ser de pai, mãe, filho ou anjo - do mais forte ao mais fraco.

Diálogo 
MESTRE - Boca de Forno.
CRIANÇAS - Forno!
MESTRE - Jacarandá.
CRIANÇAS - Já!
MESTRE - Quando eu mandar.
CRIANÇAS - Vou!
MESTRE - E se não for?
CRIANÇAS - Apanha!

Passa-Anel

Brincadeiras do Nordeste: Passa-anel. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
Com as duas palmas das mãos unidas, uma das crianças segura um anel. As demais ficam sentadas em um banco, uma ao lado da outra, com os braços estendidos e as mãos na mesma posição. A criança que está com o anel passa suas mãos por dentro das mãos das outras e deixa o objeto com um dos participantes, sem que os outros percebam. Depois de mostrar as mãos vazias, ela pergunta a alguém com quem está o anel. Se a pessoa acertar, vira o passador de anel. Se não, a brincadeira segue com o mesmo passador até que alguém acerte. Durante a atividade, pode-se cantar a música, abaixo.

Letra da música Perdi meu anel no mar
Não pude mais encontrar
E o mar me trouxe a concha
De presente para me dar
Foi parar na goela da baleia
Ou então no dedo da sereia
Ou quem sabe um pescador
Encontrou o anel
E deu pro seu amor...

Passarás

Brincadeiras do Nordeste: Passarás. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
Antes de começar a brincadeira, duas crianças escolhem uma fruta de sua preferência (pera e maçã, por exemplo). Depois, ficam uma em frente à outra, com os braços levantados e as mãos juntas formando uma ponte. Por baixo delas, os demais participantes passam em fila, cantando. Quando a música termina, a dupla prende nos braços quem está passando naquele momento e pergunta baixinho, sem que os outros ouçam: "Você prefere pera ou maçã?" O participante escolhe e vai para trás de quem representa a fruta escolhida. No final, ganha aquele que tiver mais pessoas atrás de si, ou seja, a fruta preferida.

Letra da música Passarás, passarás
A bandeira há de ficar
Se não for o da frente
Pode ser o de atrás
Tenho dois filhos pequeninos
Não posso mais demorar
Demorar, demorar
Passarás, passarás
A bandeira há de ficar
Se não for o da frente
Pode ser o de atrás...

Pião

Brincadeiras do Nordeste: Pião. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
Enrolar o cordão no pião de madeira e lançar em direção ao chão. Ganha aquele que conseguir fazê-lo girar por mais tempo. Algumas crianças conseguem pegar o brinquedo e o manter girando na mão. 
Outros circulam o pião ainda em movimento para que ele corra ao longo do próprio cordão (nesse caso, quanto mais distante do chão, melhor).

Pipa, papagaio ou peixinho

Brincadeiras do Nordeste: Pipa. Foto: Danny Yin
Como brincar:
 Um dia ensolarado, bom vento e um espaço aberto bem longe de postes e fios é a combinação perfeita para empinar pipa. Para que ela suba bastante, é preciso deixá-la contra o vento, soltando a linha sempre que necessário. Às vezes é preciso pedir ajuda a um amigo que toma distância e mantém a pipa levantada. Quando o ajudante percebe que o vento está propício faz um sinal para que o empinador puxe e movimente a linha para que a pipa permaneça no ar. A pipa que ficar por mais tempo no céu ganha.
Mas, atenção: não vale usar cerol.

Variações:
 A pipa recebe outros nomes, como papagaio, raia e peixinho, e também tem formatos variados. 
Em alguns lugares a rabada também é chamada de rabiola ou rabo.


Receita da pipa

Ingredientes
  • Três varetas de bambu (uma de 51 centímetros e as demais de 32 centímetros);
  • Uma folha de papel de seda;
  • Tesoura;
  • Cola;
  • Linha;
  • Sacos ou sacolas plásticas.
Modo de fazer
Posicione as varetas menores sobre a maior, perpendicularmente, deixando uma distância de cerca de 20 centímetros entre elas. Use a linha para amarrá-las onde nos cruzamentos.
Passe a linha por fora, unindo com ela todas as pontas das varetas.
Coloque o papel de seda sobre a armação e corte no formato da pipa deixando 2 centímetros de sobra. Dobre esta sobra e cole, para deixar o papel bem firme nas varetas.
Amarre uma linha nas extremidades da vareta que está mais ao alto, envergando-a.
 No centro desta linha, amarre a linha principal que será usada para levantar a pipa (o restante deve ser enrolado em uma lata ou carretel).
Para fazer a rabada, prenda uma linha na ponta da vareta mais longa. 
Corte tiras de sacos plásticos e vá amarrando nesta linha. 
Pronto, agora é só torcer para o vento chegar ao ponto ideal!

Pular corda

Brincadeiras do Nordeste: Pular corda. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
É possível brincar sozinho, em dupla ou em grupo. Se estiver em dupla, amarre uma das pontas da corda em algum lugar, assim um participante pode bater para que o outro pule. 
Quando o grupo é maior, duas pessoas batem para que os demais brinquem. 
Alguns conseguem pular junto com outra pessoa ou com duas cordas ao mesmo tempo. 
Enquanto aguardam, os demais contam ou cantam as músicas com as instruções sobre como se deve pular. Ganha quem conseguir pular mais vezes com os pés juntos sem errar e sem pisar na corda.

Música:
Mariana conta um,
Mariana conta um,
É um, é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana.
Mariana conta dois,
Mariana conta dois,
É um, é dois, é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana.
Mariana conta três,
Mariana conta três,
É um, é dois, é três, é Ana,
Viva Mariana, viva Mariana.
Mariana conta quatro...

Variações: 
Existem várias músicas e técnicas para pular corda. Uma das canções bastante presentes no Brasil é 
"Um homem bateu em minha porta e eu abri / Senhoras e senhores: ponham a mão no chão! / 
Senhoras e senhores: pulem em um pé só! / Senhoras e senhores: deem uma rodadinha! / 
E vá pro olho da rua!" A cada frase, quem está pulando tem de fazer o que a música propõe e, 
ao final, deve sair da corda sem tropeçar.

Sete Pecados

Brincadeiras do Nordeste: Sete Pecados. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
Forma-se um círculo com várias crianças. Uma delas joga a bola para o alto e diz o nome de um 
dos jogadores. Aquele que foi chamado corre para pegar a bola enquanto os demais se espalham. 
Quando a criança consegue pegar a bola imediatamente manda que todos parem. 
Ela dá sete passos e joga a bola na criança parada que estiver mais próxima. 
Se acertar, a criança pega a bola e joga em outra criança antes que todas entrem no círculo e 
recomecem a brincadeira. Por fim, quem tiver sete pecados, ou seja, for acertado sete vezes 
terá de pagar uma "prenda".

Trem Maluco

Brincadeiras do Nordeste: Trem maluco. Foto: Danny Yin
Como brincar: 
Em duplas, as crianças cantam e brincam com as mãos fazendo movimentos sequenciais e 
sincronizados. A cada verso, uma mão vai para baixo, enquanto a outra vai para cima. 
Depois, as mãos estendidas para frente batem nas palmas do colega e, finalmente, bate-se 
as palmas. Quanto mais rápido cantar e fizer os gestos, melhor. 
Se errar, pode parar e recomeçar. 

Letra da música 
O trem maluco 
Quando sai de Pernambuco 
Vai fazendo vuco-vuco 
Até chegar no Ceará 
Rebola pai, mãe, filha (põe a mão na cintura e rebola)
Eu também sou da família 
Também quero rebolar 
Um pouquinho de coca-cola (dedão de cada mão na direção da boca)
Um pouquinho de guaraná 
A danada da professora me ensinou o bê-a-bá 
Sete e sete são catorze
Com mais sete, 21 
Tenho sete namorados 
Não me caso com nenhum
Só me caso com aquele 
Que me der um jerimum 
Mum-mum (dá uma batidinha na cabeça do colega)

Retirado da Revista Nova Escola

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Oi Luana, é com muito prazer que recebemos você no nosso Blogger. Obrigado pelo comentário e pela visita. Beijinhos!!

      Excluir